domingo, 21 de outubro de 2007

Perispirito, centro de força e o passe


PERISPIRITO, CENTRO DE FORÇA E O PASSE
(Jairo)

Kardec, pela orientação dos Espíritos, nos diz que o Espírito em si não é matéria. Não temos explicação de sua composição. E que a matéria é utilizada para a evolução do Espírito. Para que o Espírito se utilize dela para essa evolução é necessário que ele crie em torno de si um corpo semimaterial. Esse corpo Kardec chamou de Perispírito. O Perispírito serve ao Espírito em todo o seu contato com a matéria. E é o molde do corpo físico, quando reencarnamos. Nele são gravadas todas as nossas ações. Por ele, que entramos em contato com os espíritos, no fenômeno mediúnico, à noite saímos do corpo físico, com ele; quando o corpo morre é com ele que o espírito sai do corpo e se apresenta. E, no períspírito é que ficam os Centros de Força que entre outras funções, tem a função de metabolizar energias que recebe, principalmente o Fluido Cósmico Universal, do meio ambiente, e transformá-lo em FLUIDO VITAL, que é a força motriz do funcionamento do perispírito e do corpo físico. FORMA A NOSSA AURA E É ELE, O FLUIDO VITAL, QUE TRANSMITIMOS PELO PASSE ÀS PESSOAS, PRESENTES OU DISTANTES.

Como ocorre isto? - O perispirito possui sete Centros de forças principais (ver descrição abaixo).

QUAL A RELAÇÃO ENTRE O PERISPÍRITO, OS CENTROS DE FORÇA COM O PASSE?

Como o Perispírito é o meio de veiculação da vontade do Espírito, cabe a ele o papel transformador e reativo nos fluidos, ESPECIALMENTE QUANDO MOVIMENTADOS NOS TRABALHOS DO PASSE. Daí a necessidade de o passista ser uma pessoa equilibrada, pois, sua vontade, por carecer de uma base firme, não pode, para fornecer saúde e harmonia, calcar-se numa estrutura movediça de moral vacilante e tonicidade intermitente.

Ademais, ”se as paixões baixas e materiais perturbam, obscurecem o organismo fluídico, os pensamentos generosos, e um sentido oposto, as ações nobres apuram e dilatam as moléculas perispiriticas”(Léon Denis, em “Depois da morte, cap. 32, p. 210)

O PERISPÍRITO tem participação ímpar nos fenômenos e nas manifestações mediúnicas e anímicas, sendo ele, PORTANTO, O INTERMEDIÁRIO VITAL E INDISPENSÁVEL DA TRANSMISSÃO FLUÍDICA POR OCASIÃO DO PASSE, da prece em favor dos outros e de nos mesmos. (Jacob de Melo (Livro O Passe, da FEB)

Dizem os espíritos que as pessoas comuns que não tem o hábito de orar, que não se preocupam como bem e são egoístas, só pensando em si, tem o Centro de Força de mais ou menos 5 cm de diâmetro e de cor escura e sem brilho e giram lentamente, metabolizando por isso pouco Fluido Vital, o que é claro não é bom para a saúde. E NÃO SERIAM BONS PASSISTAS.

A BASE DOS TRABALHOS DE PASSES CENTRA-SE NO CONHECIMENTO DESSES CENTROS E NA REAL APLICAÇÃO DAS ENERGIAS RADIANTES.
Distribuem, controlam, dosam as energias que o nosso corpo necessita; Regulam, sustentam os sentimentos e as emoções; Alimentam as células do pensamento; Levam as sensações do corpo físico para o Espírito; Captam as energias e as influências exteriores.

As pessoas espiritualizadas, que têm o hábito de orarão, bons pensamentos e bons sentimentos, boa moral, possuem Centros de Força maiores. Ampliados e de cor brilhante. POR ISSO METABOLIZAM MAIS FLUIDO VITAL, PARA A SUA AURA E É A ENERGIA QUE TRANSMITIMOS NO PASSE. Como isso ocorre?

Os Centros de força metabolizam o Fluido Cósmico Universal em FLUIDO VITAL e este é transmitido para todo o perispírito para mantê-lo funcionando e depois passa, através dos plexos que ficam no organismo físico para o sistema nervoso e assim para todas as células do corpo, cuja função é mantê-lo funcionando também. Assim que o Fluido Vital alcance as células do corpo físico irradiam (com maior ou menor intensidade de acordo com o estado emocional da criatura, porque eles estão subordinados às impulsões da mente) e esta irradiação forma a aura humana E DA AURA É QUE PARTEM AS ENERGIAS FORNECIDAS PELO PASSE.

O passe então é energia passada de aura para aura.
As mãos são apenas os pontos, as extremidades, convencionados no corpo para o direcionamento da energia que doamos exercendo nossa vontade. (No homem de vontade energética, A CORRENTE PRODUZ O EFEITO DE UMA DUCHA (Kardec, Rev.Esp.setembro 1865)

Mas poderíamos passar essa energia, olhando a pessoa, (um olhar basta para que os núcleos potencializados transmitam as forças curativas, favorecendo as pessoais em carências e renovando-as. (Vianna de Carvalho, psicografia de Divaldo Franco,14.4.1989). Jesus curava pelo olhar também. Pode ser enviada pela vontade pelo tórax,(área do coração) direcionando a energia naquele ponto e pelo pensamento e a vontade envia-la para perto ou longe. (O PENSAMENTO PROVOCA UMA EMISSÃO FLUÍDICA (Kardec Rev.Esp. set.1865.

Pensamentos viciados (contaminados,desajustados, desequilibrados) implicam em desarmonia nos Centros de Força e, conseqüentemente, no corpo físico. (Isso prejudica muito a qualidade do passista)

“O que eleva a frequência vibratória do pensamento é o Amor desinteressado. Tudo que seja contrário ao Amor, como raiva, ressentimento, mágoa, tristeza, indiferença, egoísmo, vaidade, separação ou isolamento, faz baixar as vibrações. “ ( Departamento Doutrinário da Federação Espírita Portuguesa )

Podemos curar também pela prece. Kardec diz, Rer. Espírita setembro 1865, que a Prece é um pensamento, quando fervorosa, ardente, feita com fé, produz o efeito de uma magnetização, não só chamando o concurso dos bons Espíritos, mas dirigindo ao doente uma salutar corrente fluídica. (perto ou à distância).

E pode esse energia ser assimilada, RETIRADA de nós pelo desejo ardente e fé verdadeira das pessoas, como a hemorrágica tirou a energia para sua cura ao tocar as vestes de Jesus. Pode também suas emanações pela aura contaminar ou purificar ambientes, dependendo de suas qualidades.(Chico Xavier tinha uma aura de 10 metros, segundo estudos da NASA dos EUA) Assim, uma pessoa sem braços poderia dar passes normalmente, pois direcionaria suas energias pela vontade para o paciente.(Narram os apóstolos que pessoas traziam os seus enfermos e os colocavam à beira dos caminhos por onde passariam Pedro e João, a fim de que a sua sombra, caindo sobre eles os currassem)...(Viana de Carvalho, Psicografia de Divaldo Franco 14.4.1989)

No Centro Espírita foi convencionado a utilização da passagem da energia pelas mãos. É discreto e o suficiente para a transmissão da energia do passe.

E TAMBÉM PORQUE NO CENTRO ESPÍRITA O PASSE É MINISTRADO DE FORMA MISTA, a energia magnética do passista e a energia magnética dos espíritos presentes. E são os espíritos que trabalham essas energias nas partes do corpo enfraquecidas ou doentes. Espíritos que trabalham nas câmaras de passe são especialistas em manipulação de energia (Ver cap., 19 do livro Missionário da Luz) Nesse caso o passista é apenas um doador de energia, devendo ficar em preces e com as mãos estendidas sobre a cabeça do paciente, nada mais.

OS CENTROS DE FORÇA são acumuladores. transformadores e distribuidores de força espiritual, situados no Perispírito. Têm centros equivalentes/correspondentes nos Plexos situados no corpo físico.
No processo de irradiação para os passes transmitimos aos outros, pelo mecanismo da nossa vontade, a carga de força vital que dispomos para doar.

Kardec, nos comentários da pergunta 70 do L.E., nos diz que o corpo é como um aparelho elétrico que tem que ser recarregado para funcionar. Exemplo, quando temos um telefone celular e acaba a energia da bateria, temos que recarregá-la para que ele volte a funcionar. Assim são os Centros de Força, eles agem como carregadores da energia que fazem funcionar o nosso corpo, pois transformam a energia do Fluido Cósmico Universal do meio ambiente em FLUIDO VITAL que age como uma força motriz ( produz os movimentos) Se os Centros força pararem de produzir FLUIDO VITAL o corpo morre, e se produz pouco o corpo fica doente.

OS CENTROS DE FORÇA E SUAS OUTRAS FUNÇÕES
Coronário, frontal, Laríngeo, Cardíaco, Gástrico, esplênico e básico
CENTROS DE FORÇA
(Estudos realizados pelo COEM, Centro Espírita Luz Eterna, Curitiba)

O espírito, encarnado ou desencarnado, assimila energias das mais diversas, automaticamente e/ou conscientemente, de acordo com seu estado de maior ou menor equilíbrio, físico e espiritual. O perispírito, então, metaboliza essas energias nos centros de força e as distribui em nosso organismo. Essas energias se manifestam em nossa aura, formando nosso “hálito mental”.
Os centros de força, também chamados de centros de energia ou força vital, são verdadeiras “usinas” de metabolização de energias e fluidos, distribuindo-se por todo o nosso perispírito, formando verdadeiros “sistemas” na sua estruturação. Existem milhares, sendo que sete deles são de maior importância, por coordenarem a metabolização de energias e fluidos em grandes áreas específicas, respondendo por sistemas e energias particulares.
Quando o espírito está encarnado, os centros de força estão “ajustados” a determinados órgãos ou sistemas do corpo físico, interagindo com este, ou seja, o tipo de energia metabolizado afeta ao corpo físico, órgão ou sistema orgânico correspondente, bem como o estado físico afeta a absorção e metabolização de energias e fluidos.
Os principais centros de força e sua respectiva “localização” são:

1) Centro Coronário: responsável pelas energias oriundas do plano espiritual; relaciona-se materialmente com a epífise.
2) Centro Frontal: responsável pelas energias dos centros superiores da inteligência e do sistema nervoso; relaciona-se materialmente com os lobos frontais do cérebro;
3) Centro Laríngeo: é responsável pelas energias na área da fala. Atua no funcionamento das glândulas do timo, da tireóide. Relaciona-se materialmente com o plexo cervical.
4) Centro Cardíaco: responsável pelas energias das emoções superiores e sentimentos. Atua na área do coração e da circulação. Relaciona-se materialmente com o plexo cardíaco.
5) Centro Esplênico: é o responsável pela eliminação das energias “descartáveis” ou “não afinadas” de nosso perispírito. Atua em toda a área das defesas orgânicas através do sangue. Relaciona-se materialmente com o baço.
6) Centro Gástrico: relaciona-se também com energias das emoções e sentimento, atuando em todo o aparelho digestivo. Está relacionado materialmente com o plexo solar.
7) Centro Genésico ou Básico: responsável pelas energias oriundas da reprodução, da sexualidade e da criatividade. Relaciona-se com o sistema reprodutor.

Infrações às Leis Naturais implicam em registros energéticos no perispírito, com influências decisivas nesta e em outras encarnações. Esses registros são energéticos e constituídos de cargas negativas ligadas a determinados Centros de Força. Estão relacionados com a Lei de Causa e Efeito, sendo conseqüência do uso do Livre Arbítrio.

NOS PROCESSOS DE PASSE OU DE IRRADIAÇÃO, o médium passista, pela ação de sua vontade dirigida, transmite aos outros as sua energias vitais, que são repostas imediatamente pela absorção e metabolização automática das energias do ambiente pelos centros de força. Na irradiação ou no passe, o médium, aplicando a técnica apropriada, acelera essa absorção e metabolização, e movimenta, pela ação da sua vontade, as energias vitais e espirituais para aquele que receberá as energias da irradiação ou passe.

A EPÍFISE, glândula de forma piriforme, é um corpo ovóide, com as dimensões de uma ervilha mediana e repousa sobre o teto mesencefálico.
"Descartes considerava a glândula pineal a sede da Alma". (Anatomia e Fisiologia Humanas, de A. Almeida Júnior; Editora Nacional, 8a parte, cap. 40)
Em "Missionários da Luz", cap. 2, André Luiz observa que no médium, em serviço mediúnico, essa glândula transforma-se em núcleo radiante. Relembra que, segundo os "orientadores clássicos terrestres", as funções da epífise circunscreviam-se ao controle sexual, no período infantil, velador dos instintos até uma certa idade, em que a atividade sexual pudesse deslizar com regularidade. "Não se trata de órgão morto, diz a espiritualidade. É a glândula da vida mental. Ela acorda no organismo do homem, na puberdade, as forças criadoras e, em seguida, continua a funcionar, como o mais avançado laboratório de elementos psíquicos da criatura terrestre".
No campo mediúnico, a epífise impulsiona e intensifica o poder de emissão e recepção, de acordo com nossa esfera espiritual - Lei da Sintonia.

O crescimento do influxo mental está na medida da experiência adquirida e arquivada pelo próprio Espírito.
Pensamentos viciados (contaminados,desajustados, desequilibrados) implicam em desarmonia nos Centros de Força e, conseqüentemente, no corpo físico. (Isso prejudica muito a qualidade do passista)

Os Passes
O pensamento do encarnado atua sobre os fluidos espirituais, como o dos desencarnados, e se transmite de Espírito a Espírito pelas mesmas vias e, conforme seja bom ou mau, saneia ou vicia os fluidos ambientes.
Desde que estes se modificam pela projeção dos pensamentos do Espírito, seu invólucro perispirítico, que é parte constituinte do seu ser e que recebe de modo direto e permanente a impressão de seus pensamentos, há de, ainda mais, guardar a de suas qualidades boas ou más. Os fluidos viciados pelos eflúvios dos maus Espíritos podem depurar-se pelo afastamento destes, cujos perispíritos, porém, serão sempre os mesmos, enquanto o Espírito não se modificar por si próprio.
Sendo o perispírito dos encarnados de natureza idêntica à dos fluidos espirituais, ele os assimila com facilidade, como uma esponja se embebe de um líquido. Esses fluidos exercem sobre o perispírito uma ação tanto mais direta, quanto, por sua expansão e sua irradiação, o perispírito com eles se confunde.
Atuando esses fluidos sobre o perispírito, este, a seu turno, reage sobre o organismo material com que se acha em contato molecular. Se os fluidos são de boa natureza, o corpo ressente uma impressão salutar; se são maus, a impressão é penosa. Se são permanentes e enérgicos, os fluidos maus podem ocasionar desordens físicas; não é outra a causa de certas enfermidades.
Os meios onde superabundam os maus Espíritos são, pois, impregnados de maus fluidos que o encarnado absorve pelos poros perispiríticos, como absorve pelos poros do corpo os miasmas pestilenciais.
Parte da questão 18 de A Gênese, capítulo XIV

CONCLUSÃO
André Luiz, em “Missionários da Luz”, cap. XIX (Passes) recomenda aos médiuns passistas que, antes de tudo, é necessário equilibrar o campo das emoções. Não é possível fornecer forças construtivas a alguém, ainda mesmo na condição de instrumento útil, se fazemos sistemático desperdício das irradiações vitais.
Um sistema de nervos esgotado, oprimido é um canal que não responde pelas interrupções havidas. A mágoa excessiva, a paixão desvairada, a inquietude obsidente, constituem barreiras que impedem a passagem das energias auxiliadoras. Por outro lado, é preciso examinar também as necessidades fisiológicas, a par dos requisitos de ordem psíquica.
A fiscalização dos elementos destinados aos armazéns celulares é indispensável, por parte do próprio interessado em atender às tarefas do Bem.
O excesso de alimentação produz odores fétidos, através dos poros, bem como das saídas dos pulmões e do estômago, prejudicando as faculdades radiantes, porquanto provoca dejecções anormais e desarmoniosas de vulto no aparelho gastrointestinal interessando a intimidade das células.
O álcool e outras substâncias tóxicas operam distúrbios nos centros nervosos, modificando certas funções psíquicas e anulando os melhores esforços na transmissão de elementos regeneradores e salutares.

PALESTRA GENTILMENTE CEDIDA POR JAIRO CAPASSO (ORADOR E PALESTRANTE).

A PALESTRA OCORREU NO SEMINÁRIO SONBRE PASSES REALIZADO EM PIRACICABA-BRASIL, EM JUNHO DE 2007

PROMOÇÃO DA USE-UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS, INTERMUNICIPAL E REGIONAL DE PIRACICABA.

Um comentário:

Adriana disse...

Joana, parabéns pelo seu blog. Muito esclarecedores os textos colocados aqui. Precisamos mesmo de pessoas que contribuam para a divulgação dessa doutrina maravilhosa que é a espírita! Vou colocar um link no meu blog, ok? Abraços...