sábado, 9 de fevereiro de 2008

Diversidade das raças humanas


Diversidade das raças humanas

52. Donde provêm as diferenças físicas e morais que distinguem as raças humanas na Terra?

“Do clima, da vida e dos costumes. Dá-se aí o que se dá com dois filhos de uma mesma mãe que, educados longe um do outro e de modos diferentes, em nada se assemelharão, quanto ao moral.”

53. O homem surgiu em muitos pontos do globo?

“Sim e em épocas várias, o que também constitui uma das causas da diversidade das raças. Depois, dispersando-se os homens por climas diversos e aliando-se os de uma aos de outras raças, novos tipos se formaram.”

a) - Estas diferenças constituem espécies distintas?

“Certamente que não; todos são da mesma família. Porventura as múltiplas
variedades de um mesmo fruto são motivo para que elas deixem de formar uma só espécie?”

54. Pelo facto de não proceder de um só indivíduo a espécie humana, devem os homens deixar de considerar-se irmãos?

“Todos os homens são irmãos em Deus, porque são animados pelo espírito e tendem para o mesmo fim. Estais sempre inclinados a tomar as palavras na sua significação literal.”

3 comentários:

Anônimo disse...

Prezados, o que significam as diferenças "morais" entre as "raças" humanas?

Quer dizer que há "raças" mais dispostas ao "amor" do que outras, mais dispostas ao "ódio"?

Vocês acham isso certo?

joana disse...

Amigo anónimo

Sabemos que Deus criou os Espíritos simples e ignorantes, quer dizer, sem ciência e sem conhecimento do bem e do mal, mas com aptidão igual em tudo e para tudo.

Sabemos que a espécie (raça) humana é só uma, o que acontece é que dentro dessa espécie humana existem vários grupos étnicos ou seja grupo de pessoas que se identificam umas com as outras, ou são identificadas como tal por terceiros, com base em semelhanças culturais ou biológicas, ou ambas, reais ou presumidas.

O homem surgiu em muitos pontos do globo e em épocas varias, que também constitui uma das causas da diversidade dos grupos ou raças. Depois, raças humanas dispersando-se os homens por climas diversos e aliando-se os de uma aos de outras, novos tipos se formaram.

como foi frisado ao principio, Deus criou o espírito simples e ignorante, o principio da reencarnação é uma consequência necessária da lei de progresso. Sem a reencarnação, não há como se explicar a diferença entre o presente estado social e dos tempos de barbárie. Somente as reencarnações sucessivas podem explicar, também as diferenças morais e intelectuais entre as criaturas.

Como sabemos o meio ambiente e cultural em que uma criança esta inserida vai ter grande influência sobre a sua evolução tanto intelectual como moral.

Por isso uma mesma criança poderá ter uma evolução diferente dependendo do seu meio.

Assim poderá ver que a raça ou grupo nada tem a ver em ter mais disposição para o Amor ou ódio, mas sim a evolução do espírito e o seu livre arbítrio.

Espero ter conseguido esclarecer,se continuar com alguma duvida,esteja a vontade para por as suas questões.

Saudações fraternas

Joana

Anônimo disse...

Olá
Vocês sabiam que racismo é crime federal? Por que autores como o espírita e racista Edgard Armond autor de “Os Exilados da Capela” tem tanto crédito entre vocês espíritas? Diga-se de passagem, livros espíritas tratando de evolução são uma verdadeira piada... e de péssimo gosto!!!!!

Segundo Edgard Armond:

Com a chegada dos remanescentes da Atlântida, os povos Hiperbóreos ganharam forte impulso civilizador e, após várias transformações operadas no seu tipo fundamental biológico, por efeito do clima, dos costumes e dos cruzamentos com os tipos-base, já previamente selecionados pelos auxiliares do Cristo, conseguiram estabelecer os elementos etnográficos essenciais e definitivos do homem branco, de estatura elegante e magnífica, cabelos ruivos, olhos azuis, rosto de feições delicadas.
Nessa época, como tantas vezes sucedera no globo anteriormente, esse continente começou a sofrer um processo de intenso resfriamento que tornou toda a região inóspita, hostil à vida humana.
Por essa razão, os Hiperbóreos foram obrigados a emigrar em massa e quase repentinamente para o sul, invadindo o centro do planalto europeu, onde se procuraram estabelecer.
Eis como E. Schuré, o inspirado autor de tantas e tão belas obras de fundo espiritualista, descreve esse êxodo:
- "Se o sol da África incubou a raça negra, direi que os gelos do pólo ártico viram a eclosão da raça branca. Estes são os Hiperbóreos dos quais fala a mitologia grega.
Esses homens de cabelos vermelhos, olhos azuis, vieram do norte, através de florestas iluminadas por auroras boreais, acompanhados de cães e de renas, comandados por chefes temerários e impulsionados por mulheres videntes.
Raça que deveria inventar o culto do sol e do fogo sagrado e trazer para o mundo a nostalgia do céu. umas vezes se revoltando contra ele e tentando escalá-lo de assalto e outras se prosternando ante seus esplendores em uma adoração absoluta.'"
Como se vê, a Quinta Raça foi a última, no tempo, e a mais aperfeiçoada, que apareceu na Terra, como fruto natural de um longo processo evolutivo, superiormente orientado pelos Dirigentes Espirituais do planeta.
Ao se estabelecerem no centro da Europa os Hiperbóreos, logo a seguir e antes que pudessem definitivamente se fixar, foram defrontados pelos negros que subiam da África, sob a chefia de conquistadores violentos e aguerridos, que abrigavam suas hordas sob o estandarte do Touro, símbolo da força bruta e da violência.
Essas duas raças que assim se enfrentavam, representando civilizações diferentes e antagónicas, preparavam-se para uma guerra implacável, uma carnificina inglória e estúpida, quando os poderes espirituais do Alto, visando mais que tudo preservar aqueles valiosos espécimes brancos, portadores de uma civilização mais avançada e tão laboriosamente selecionados, polarizaram suas forças em Rama, jovem sacerdote do seu culto - o primeiro dos grandes enviados históricos do Divino Mestre - dando-lhe poderes para que debelasse uma terrível epidemia que lavrara no seu povo e adquirisse junto deste, enorme prestígio e respeito.
Assim, sobrepondo-se, mesmo, ás sacerdotisas que exerciam completo predomínio religioso, Rama assumiu a direção efetiva do povo, levantou o estandarte do Cordeiro - símbolo da paz e da renúncia - e, no momento julgado oportuno, conduziu-o para os lados do Oriente, atravessando a Pérsia e invadindo a índia, desalojando os Rutas primitivos e aí estabelecendo, sob o nome de Árias, os homens da gloriosa Quinta Raça.
Esses mesmos homens que, tempos mais tarde, se espalharam dominadoramente em várias direções, mas, notadamente para o Ocidente, conquistando novamente a Europa até as bordas do Mediterrâneo, nessas regiões plantaram os fundamentos de uma civilização mais avançada que todas as precedentes.
Agora, podemos apresentar um esboço das cinco raças que viveram no mundo, antes e depois da chegada dos capelinos.
São as seguintes:
1ª ) A raça formada por espíritos que viveram no astral terreno, que não possuíam corpos materiais, e, por isso, não encarnaram na Terra. Característica fundamental: "astralidade".
2ª) A raça formada por espíritos já encarnados, que desenvolveram forma, corpo e vida própria, conquanto pouco consistentes. Características: "semi-astralidade".
3ª) Raça Lemuriana- Estabilização de corpo, forma e vida, e acentuada eliminação dos restos da "astralidade inferior", Com esta raça começaram a descer os capelinos. Não se conhecem as sub-raças.
4ª ) Raça Atlante - Predomínio da materialidade inferior. Poderio material. Grupos étnicos: romahals, travlatis, semitas, acádios, mongóis, turamanos e toltecas.
5ª) Raça Ariana- Predomínio intelectual. Evoluiu até o atual quinto grupo étnico, na seguinte ordem: indo-ariana, acadiana, caldaica, egípcia, européia.
A substituição das raças não se faz por cortes súbitos e completos, mas, normalmente, por etapas, permanecendo sempre uma parcela, como remanescente histórico e etnográfico. Apesar de pertencermos à Quinta Raça ainda existem na crosta pianetária povos representantes das raças anteriores (terceira e quarta) em vias de desaparecimento, nos próximos cataclismos evolutivos.
Ao grande ciclo ariano (5ª raça) na evolução humana compete o desenvolvimento intelectual e às raças seguintes o da intuição e da sabedoria.


* O conhecimento de vocês sobre evolução biológica é ridículo!!!!!!